<[HEADING] class="logo-text">O crédito direito ao assunto
MENU
Ver Mais

​Crédito Pessoal Formação com TAEG a partir de 5,5% para TAN de 3,90%, consoante o prazo escolhido, Taxa Fixa, Prazo entre 24 a 120 meses. Montante a financiar entre 2.500€ a 75.000€. Crédito sujeito a aprovação de Instituições Bancárias e Financeiras a operar legalmente em Portugal (ver lista). Prazo mínimo de 12 meses e máximo de 120 meses. TAEG a partir de 5,5% até ao máximo de 14.6%.

Crédito Consolidado sem garantia hipotecária com TAEG a partir de 11,70%, TAN a partir de 9,50%, Taxa Fixa, Prazo entre 12 a 120 meses. Montante a financiar entre 5.000€ a 75.000€. Crédito sujeito a aprovação de Instituições Bancárias e Financeiras legalmente a operar em Portugal. Prazo mínimo de reembolso de 24 Meses e Máximo de 120 meses. TAEG a partir de 2,445% até ao máximo de 14,2%.

Testemunho
CLAUDIA SANTANA

O total dos meus créditos rondavam os 24.000€ e estava a pagar 865€ por mês. Após juntar todos os meus créditos, sem fiadores, passei a ter uma só mensalidade de apenas 315€/Mês.

Redução de 64% nas prestações. TAN 9,500% e TAEG 11,712%.

Testemunho
SOFIA E NUNO CAMPOS

Devíamos 19.000€ e tínhamos de pagar 677€/Mês. Depois da consolidação de créditos, sem incluir o crédito da casa, ficámos com uma mensalidade de 249€. Poupamos mais de 400€/Mês.

Redução de 63% nas prestações. TAN 9,500% e TAEG 12,024%.

Testemunho
MANUEL HENRIQUES

Queria fazer outro crédito de 5.000€ mas com a casa devia 130.000€ e pagava 2.097€/Mês. Segui a sugestão e fiz um crédito consolidado. Reduzi as prestações para 745€/Mês e já com os 5.000€ na conta.

Redução de 64% nas prestações. TAN 2,455% e TAER: 3,231%.

Testemunho
JOÃO SILVA

Fiz um pedido de 4.500€. Foram apresentadas várias propostas. Optei pagar o meu crédito em 72 vezes por 78,72€/Mês. Com esta prestação baixa vou juntar dinheiro para pagar antes, sem custos adicionais.

TAEG: 5,5% TAN: 4,70% MTIC: 5.268,78€.

Alguma vez pensou em transferir credito habitação? Saiba tudo

Há alguns anos, os bancos cobravam taxas de juro bastante altas e o valor do spread alcançou máximos históricos.

Isso aconteceu porque Portugal estava a enfrentar uma enorme crise financeira e os bancos estavam a retrair-se na conceção de empréstimos à habitação.

Contudo, quando a situação começou a melhorar, passou a haver a possibilidade de transferir o credito habitação.

E, essa transferência não era nada mais que falar com o banco e transferir o valor remanescente do financiamento para outro banco com taxas de juro e spreads muito mais apelativos.

Embora hoje em dia os bancos já tenham taxas de juro e spreads mais acessíveis, a verdade é que existem ainda milhares de famílias portuguesas com spreads superiores a 2%.

E, em todos esses casos, existe a possibilidade de reduzir de forma drástica aquilo que paga todos os meses.

Mas para perceber um pouco melhor como funciona a transferência de crédito habitação, iremos falar sobre esse tema.

Transferir credito habitação: Tudo o que sempre quis saber

É importante que saiba desde já que transferir um crédito habitação não tem de ser propriamente uma grande dor de cabeça.

A par disso é um processo bastante simples e pouco burocrático. Mas, tal como acontece com tudo o que tem a ver com créditos é preciso analisar bem as opções e verificar se as mesmas são efetivamente boas.

Será então que transferir o crédito habitação é efetivamente uma excelente escolha para a sua família? De forma a perceber ao certo se deve ou não ponderar essa questão, veja as dicas que temos para si.

1 – Avalie a sua situação financeira

O ponto pelo qual deve iniciar esta análise, passa essencialmente por verificar como é que está a sua situação financeira. Obviamente que mudar de banco, baixar o spread e ficar a pagar menos por mês da sua casa é algo bastante tentador.

No entanto, tenha em mente que a transferência de um crédito, envolve um processo que é ainda um pouco burocrático, sendo por isso importante perceber se tem condições para mudar de banco e se o processo será aprovado.

2 -  Olhe para as taxas de juro

As taxas de juro EURIBOR continuam bastante baixas, e estão muito perto do zero, prevendo-se que se mantenham assim pelo menos até 2020.

Desta forma, as taxas de juro e os spreads associados aos créditos (sejam ou não habitação) têm descido de forma considerável.

Assim sendo, existe agora uma possibilidade de conseguir poupar simplesmente porque está a transferir o crédito habitação para outro banco. No entanto, antes de avançar com este passo, é essencial que analise tudo até ao mais pequeno pormenor.

3 – Conheça bem as condições do seu crédito habitação

Antes de proceder a uma análise de mercado para perceber quais são as ofertas dos bancos, é importante que conheça ao pormenor quais são as condições do seu crédito atual.

Tenha em mente que não estamos exclusivamente a falar do spread, mas também dos produtos adicionais que foram adquiridos, como é o caso dos seguros obrigatórios (seguro de vida e multirriscos), cartões de débito, crédito…

Muitas pessoas não têm noção que em determinada altura é possível estar a pagar mais relativamente ao seguro de vida do que da própria prestação mensal do crédito.

Além destes pontos, deve também analisar o seu contrato de crédito de forma a perceber qual é que é efetivamente o valor que a sua casa tem atualmente no mercado, assim como o valor total que ainda tem a pagamento.

Embora os bancos concedam empréstimos com maior facilidade, a verdade é que raramente o fazem a 100% (a não ser que seja uma casa financiada do banco), sendo o mais comum procederem ao empréstimo de 85% do valor da avaliação.

Ou seja, neste caso tem sempre de dar algum valor de entrada, o que é importante ter em mente já que devido aos vários créditos que os consumidores tinham, foram muitas as pessoas que realizaram um crédito consolidado com recurso a hipoteca da casa. 

4 – Analise sempre o spread

Hoje em dia qualquer site do banco tem disponível um simulador de crédito habitação, e existe também a possibilidade de falar connosco de forma a que possamos obter-lhe uma simulação dos spreads dos vários bancos.

Garantindo-lhe não só que consegue fazer uma escolha sábia e informada, como também obter poder negocial junto de várias entidades bancárias.

Acredite que estar informado é meio caminho andado para conseguir negociar com o banco de forma bem-sucedida.

5 – Analise sempre os custos da transferência

Contrariamente ao que possa estar a pensar, a transferência de um crédito habitação tem sempre (ou quase sempre) um custo associado.

Com a transferência do crédito habitação, pode sempre ter uma comissão por reembolso antecipado (que pode ser de 0,5% no caso de uma taxa variável ou 2% no caso de taxa fixa), custos com novas escrituras, nova avaliação do imóvel…

No entanto tenha em mente que alguns bancos oferecem-se para pagar alguns destes custos, o que acaba por tornar o processo menos pesado para si, e altamente compensatório.

Obviamente que terá de pesquisar ao máximo de modo a conseguir perceber se a transferência de crédito habitação é ou não uma boa alternativa.

Como vê, transferir o crédito habitação pode ser algo a considerar, nomeadamente se está a pagar um spread superior a 2%.

Contudo, terá efetivamente de realizar um estudo de mercado aprofundado para perceber qual a melhor alternativa para si.

Perguntas Frequentes

Todas as respostas às suas dúvidas sobre o crédito Credistar.

Sejá nosso parceiro

Aumente as suas vendas. Torne-se um parceiro Credistar.

Contactos Credistar

Contacte a equipa Credistar para esclarecimento de qualquer questão.

Testemunho
CLAUDIA SANTANA

O total dos meus créditos rondavam os 24.000€ e estava a pagar 865€ por mês. Após juntar todos os meus créditos, sem fiadores, passei a ter uma só mensalidade de apenas 315€/Mês.

Redução de 64% nas prestações. TAN 9,500% e TAEG 11,712%.

Testemunho
SOFIA E NUNO CAMPOS

Devíamos 19.000€ e tínhamos de pagar 677€/Mês. Depois da consolidação de créditos, sem incluir o crédito da casa, ficámos com uma mensalidade de 249€. Poupamos mais de 400€/Mês.

Redução de 63% nas prestações. TAN 9,500% e TAEG 12,024%.

Testemunho
MANUEL HENRIQUES

Queria fazer outro crédito de 5.000€ mas com a casa devia 130.000€ e pagava 2.097€/Mês. Segui a sugestão e fiz um crédito consolidado. Reduzi as prestações para 745€/Mês e já com os 5.000€ na conta.

Redução de 64% nas prestações. TAN 2,455% e TAER: 3,231%.

Testemunho
JOÃO SILVA

Fiz um pedido de 4.500€. Foram apresentadas várias propostas. Optei pagar o meu crédito em 72 vezes por 78,72€/Mês. Com esta prestação baixa vou juntar dinheiro para pagar antes, sem custos adicionais.

TAEG: 5,5% TAN: 4,70% MTIC: 5.268,78€.

Este site usa cookies, poderá consultar toda a informação na nossa página de Política de Privacidade. Reconheço e aceito que ao continuar a utilizar este site, dou o meu consentimento à utilização dos cookies deste site. Para mais informações sobre os cookies que utilizamos, como os gerimos e/ou apagamos, por favor consulte a nossa Política de Privacidade.