<[HEADING] class="logo-text">O crédito direito ao assunto
MENU
Ver Mais

​Crédito Pessoal Formação com TAEG a partir de 5,5% para TAN de 3,90%, consoante o prazo escolhido, Taxa Fixa, Prazo entre 24 a 120 meses. Montante a financiar entre 2.500€ a 75.000€. Crédito sujeito a aprovação de Instituições Bancárias e Financeiras a operar legalmente em Portugal (ver lista). Prazo mínimo de 12 meses e máximo de 120 meses. TAEG a partir de 5,5% até ao máximo de 14.6%.

Crédito Consolidado sem garantia hipotecária com TAEG a partir de 11,70%, TAN a partir de 9,50%, Taxa Fixa, Prazo entre 12 a 120 meses. Montante a financiar entre 5.000€ a 75.000€. Crédito sujeito a aprovação de Instituições Bancárias e Financeiras legalmente a operar em Portugal. Prazo mínimo de reembolso de 24 Meses e Máximo de 120 meses. TAEG a partir de 2,445% até ao máximo de 14,2%.

Testemunho
CLAUDIA SANTANA

O total dos meus créditos rondavam os 24.000€ e estava a pagar 865€ por mês. Após juntar todos os meus créditos, sem fiadores, passei a ter uma só mensalidade de apenas 315€/Mês.

Redução de 64% nas prestações. TAN 9,500% e TAEG 11,712%.

Testemunho
SOFIA E NUNO CAMPOS

Devíamos 19.000€ e tínhamos de pagar 677€/Mês. Depois da consolidação de créditos, sem incluir o crédito da casa, ficámos com uma mensalidade de 249€. Poupamos mais de 400€/Mês.

Redução de 63% nas prestações. TAN 9,500% e TAEG 12,024%.

Testemunho
MANUEL HENRIQUES

Queria fazer outro crédito de 5.000€ mas com a casa devia 130.000€ e pagava 2.097€/Mês. Segui a sugestão e fiz um crédito consolidado. Reduzi as prestações para 745€/Mês e já com os 5.000€ na conta.

Redução de 64% nas prestações. TAN 2,455% e TAER: 3,231%.

Testemunho
JOÃO SILVA

Fiz um pedido de 4.500€. Foram apresentadas várias propostas. Optei pagar o meu crédito em 72 vezes por 78,72€/Mês. Com esta prestação baixa vou juntar dinheiro para pagar antes, sem custos adicionais.

TAEG: 5,5% TAN: 4,70% MTIC: 5.268,78€.

Transferência de crédito habitação - Tudo o que precisa ter em conta

Sabe que é possível fazer a transferência do crédito habitação?

Muitas famílias contrataram este produto financeiro numa altura em que os spreads e as taxas de juro eram extremamente elevadas. Mas, com o acalmar da crise vivida em Portugal, os bancos têm agora taxas muito mais atrativas.

Assim, para todos aqueles que desejam ter um crédito habitação mais barato, mas o banco não permite uma renegociação, existe a possibilidade de transferir o crédito.

Claro que precisa ter diversos pontos em conta, como o fato de poder ter de pagar pela amortização antecipada do valor do crédito habitação. Mas, pelo lado positivo, existem inúmeros bancos que já pagam esse valor, por isso, não há nada a perder.

De seguida explicamos-lhe porque é que a realização dessa transferência é uma boa opção para si, que paga um valor elevado de taxa de juro e spread.

Será que a transferência do crédito habitação é uma boa opção para mim?

Com a queda das taxas de juros, e a diminuição significativa do spread, pode fazer sentido para algumas famílias portuguesas ponderar a transferência do crédito habitação para um banco que se encontre a praticar valores mais baixos do que aqueles que foram inicialmente contratados.

Contudo, para perceber ao certo se é ou não uma ideia viável, existem duas variáveis distintas que podem ser analisadas: o spread e os custos associados à transferência bancária.

Desta forma, para perceber se esta transferência é ou não viável, veja as nossas dicas.

1 – Avalie a sua situação financeira

O ponto pelo qual deve iniciar esta análise, passa essencialmente por verificar como é que está a sua situação financeira.

Obviamente que mudar de banco, baixar o spread e ficar a pagar menos por mês da sua casa é algo bastante tentador.

No entanto, tenha em mente que a transferência de um crédito, envolve todo um processo burocrático, sendo por isso importante perceber se tem condições para mudar de banco e se o processo será aprovado.

Uma das questões a considerar é que no caso de não fazer a transferência ao abrigo de uma campanha promocional, tem de pagar até 2% do valor em dívida.

Acredite que é um valor bastante alto, por isso, se não tiver este montante disponível, a transferência pode não ser a melhor solução.

2 -  Olhe bem para as taxas de juro

As taxas de juro EURIBOR continuam bastante baixas, e estão muito perto do zero, prevendo-se que se mantenham assim pelo menos até 2020.

Desta forma, as taxas de juro e os spreads associados aos créditos (sejam ou não habitação) têm descido de forma considerável.

Assim sendo, existe agora uma possibilidade de conseguir poupar simplesmente porque está a transferir o crédito habitação para outro banco.

No entanto, antes de avançar com este passo, é essencial que analise tudo até ao mais pequeno pormenor de forma a evitar surpresas negativas.

3 – Conheça bem as condições do seu crédito habitação

Antes de proceder a uma análise de mercado para perceber quais são as ofertas dos bancos, é importante que conheça ao pormenor quais são as condições do seu crédito atual.

Tenha em mente que não estamos exclusivamente a falar do spread, mas também dos produtos adicionais que foram adquiridos, como é o caso dos seguros obrigatórios (seguro de vida e multirriscos), cartões de débito, crédito…

Muitas pessoas não sabem que estes produtos adicionais podem inflacionar o valor do crédito em vez de baixarem o mesmo.

Além disso, muito não têm noção que em determinada altura é possível estar a pagar mais relativamente ao seguro de vida do que da própria prestação mensal do crédito.

Além destes pontos, deve também analisar o seu contrato de crédito de forma a perceber qual é que é efetivamente o valor que a sua casa tem atualmente no mercado, assim como o valor total que ainda tem a pagamento.

Embora os bancos concedam empréstimos com maior facilidade, a verdade é que raramente o fazem a 100% (a não ser que seja uma casa financiada do banco), sendo o mais comum procederem ao empréstimo de 80% do valor da avaliação.

Ou seja, neste caso tem sempre de dar algum valor de entrada, o que é importante ter em mente já que devido aos vários créditos que os consumidores tinham, foram muitas as pessoas que realizaram um crédito consolidado com recurso a hipoteca da casa. 

4 – Analise sempre o spread

Hoje em dia qualquer site do banco tem disponível um simulador de crédito habitação, e existe também a possibilidade de falar connosco de forma a que possamos obter-lhe uma simulação dos spreads dos vários bancos.

Assim, tem a garantia não só que consegue fazer uma escolha sábia e informada, como também obter poder negocial junto de várias entidades bancárias.

Acredite que estar informado é meio caminho andado para conseguir negocial com o banco de forma bem-sucedida.

5 – Analise sempre os custos da transferência

Contrariamente ao que possa estar a pensar, a transferência de um crédito habitação tem sempre (ou quase sempre) um custo associado.

Com a transferência do crédito habitação, pode sempre ter uma comissão por reembolso antecipado (que pode ser de 0,5% no caso de uma taxa variável ou 2% no caso de taxa fixa), custos com novas escrituras, nova avaliação do imóvel…

No entanto tenha em mente que alguns bancos oferecem-se para pagar alguns destes custos, o que acaba por tornar o processo menos pesado para si, e altamente compensatório.

Obviamente que terá de pesquisar ao máximo de modo a conseguir perceber se a transferência de crédito habitação é ou não uma boa alternativa.

Como vê, transferir o crédito habitação pode ser algo a considerar, nomeadamente se está a pagar um spread superior a 2%, contudo, terá efetivamente de realizar um estudo de mercado aprofundado para perceber qual a melhor alternativa para si.

Agora que já sabe quando é que a transferência de crédito habitação é uma boa solução para si, pondere esta alternativa no caso de estar a pagar um spread superior ao disponível no mercado atualmente.

Perguntas Frequentes

Todas as respostas às suas dúvidas sobre o crédito Credistar.

Sejá nosso parceiro

Aumente as suas vendas. Torne-se um parceiro Credistar.

Contactos Credistar

Contacte a equipa Credistar para esclarecimento de qualquer questão.

Testemunho
CLAUDIA SANTANA

O total dos meus créditos rondavam os 24.000€ e estava a pagar 865€ por mês. Após juntar todos os meus créditos, sem fiadores, passei a ter uma só mensalidade de apenas 315€/Mês.

Redução de 64% nas prestações. TAN 9,500% e TAEG 11,712%.

Testemunho
SOFIA E NUNO CAMPOS

Devíamos 19.000€ e tínhamos de pagar 677€/Mês. Depois da consolidação de créditos, sem incluir o crédito da casa, ficámos com uma mensalidade de 249€. Poupamos mais de 400€/Mês.

Redução de 63% nas prestações. TAN 9,500% e TAEG 12,024%.

Testemunho
MANUEL HENRIQUES

Queria fazer outro crédito de 5.000€ mas com a casa devia 130.000€ e pagava 2.097€/Mês. Segui a sugestão e fiz um crédito consolidado. Reduzi as prestações para 745€/Mês e já com os 5.000€ na conta.

Redução de 64% nas prestações. TAN 2,455% e TAER: 3,231%.

Testemunho
JOÃO SILVA

Fiz um pedido de 4.500€. Foram apresentadas várias propostas. Optei pagar o meu crédito em 72 vezes por 78,72€/Mês. Com esta prestação baixa vou juntar dinheiro para pagar antes, sem custos adicionais.

TAEG: 5,5% TAN: 4,70% MTIC: 5.268,78€.

Este site usa cookies, poderá consultar toda a informação na nossa página de Política de Privacidade. Reconheço e aceito que ao continuar a utilizar este site, dou o meu consentimento à utilização dos cookies deste site. Para mais informações sobre os cookies que utilizamos, como os gerimos e/ou apagamos, por favor consulte a nossa Política de Privacidade.