<[HEADING] class="logo-text">O crédito direito ao assunto
MENU
Ver Mais

​Crédito Pessoal Formação com TAEG a partir de 5,5% para TAN de 3,90%, consoante o prazo escolhido, Taxa Fixa, Prazo entre 24 a 120 meses. Montante a financiar entre 2.500€ a 75.000€. Crédito sujeito a aprovação de Instituições Bancárias e Financeiras a operar legalmente em Portugal (ver lista). Prazo mínimo de 12 meses e máximo de 120 meses. TAEG a partir de 5,5% até ao máximo de 14.6%.

Crédito Consolidado sem garantia hipotecária com TAEG a partir de 11,70%, TAN a partir de 9,50%, Taxa Fixa, Prazo entre 12 a 120 meses. Montante a financiar entre 5.000€ a 75.000€. Crédito sujeito a aprovação de Instituições Bancárias e Financeiras legalmente a operar em Portugal. Prazo mínimo de reembolso de 24 Meses e Máximo de 120 meses. TAEG a partir de 2,445% até ao máximo de 14,2%.

Testemunho
CLAUDIA SANTANA

O total dos meus créditos rondavam os 24.000€ e estava a pagar 865€ por mês. Após juntar todos os meus créditos, sem fiadores, passei a ter uma só mensalidade de apenas 315€/Mês.

Redução de 64% nas prestações. TAN 9,500% e TAEG 11,712%.

Testemunho
SOFIA E NUNO CAMPOS

Devíamos 19.000€ e tínhamos de pagar 677€/Mês. Depois da consolidação de créditos, sem incluir o crédito da casa, ficámos com uma mensalidade de 249€. Poupamos mais de 400€/Mês.

Redução de 63% nas prestações. TAN 9,500% e TAEG 12,024%.

Testemunho
MANUEL HENRIQUES

Queria fazer outro crédito de 5.000€ mas com a casa devia 130.000€ e pagava 2.097€/Mês. Segui a sugestão e fiz um crédito consolidado. Reduzi as prestações para 745€/Mês e já com os 5.000€ na conta.

Redução de 64% nas prestações. TAN 2,455% e TAER: 3,231%.

Testemunho
JOÃO SILVA

Fiz um pedido de 4.500€. Foram apresentadas várias propostas. Optei pagar o meu crédito em 72 vezes por 78,72€/Mês. Com esta prestação baixa vou juntar dinheiro para pagar antes, sem custos adicionais.

TAEG: 5,5% TAN: 4,70% MTIC: 5.268,78€.

Saiba pequenas despesas que fazem a diferença no seu orçamento

 Pequenas despesas que fazem realmente a diferença

Muitas pessoas ainda acham que almoçar fora todos os dias, comprar um maço de tabaco, uma raspadinha ou beber dois cafés na rua não tem grande impacto no orçamento mensal.

Pois bem, a verdade é que estas pequenas despesas são realmente uma grande fonte de poupança mensal, e vamos dar-lhe alguns exemplos.

1 – Fumar

Quem fuma, gasta em média algum dinheiro por mês.

Se fizermos contas à vida, quem fume 1 maço de tabaco por dia, gasta 4,6€. Num mês (e vamos contabilizar 31 dias) este valor é de 142,6€ (num ano, são 1.711,2€).

Ainda acha que este pequeno vício faz bem à sua carteira e à sua saúde?

2 – Beber café fora pelo menos duas vezes por dia

Beber um café fora não tem mal nenhum, mas fazê-lo diariamente e mais do que uma vez por dia pode ser uma das pequenas despesas com maior impacto na sua carteira.

Por exemplo, uma pessoa que beba um café por dia fora, gasta diariamente 0.65€. Se contabilizarmos 1 mês, o valor são 20,15€.

No entanto, se beber dois cafés por dia fora, o valor gasto mensalmente sobe para 40,3€. Se for 3 cafés, sobe para 60.45€…

3 – Comprar uma raspadinha

As raspadinhas vieram para ficar, e são imensas as pessoas que compram diariamente 1 ou 2 raspadinhas de 1€ ou 2€.

Imagine que esse é o seu caso. Mensalmente pode gastar entre 31€ a 62€ em raspadinhas (muito provavelmente sem grande lucro).

4 – Almoçar fora todos os dias

Pois bem, imagine agora que é daquelas pessoas que não gosta de levar almoço para o trabalho e opta por almoçar perto do seu trabalho, já que eles têm um menu completo por 5,5€.

Neste caso, se almoçar fora 5 dias por semana, num mês gasta em torno dos 121€ só em almoços (sabe que este dinheiro pode servir para encher a despesa para o mês quase inteiro certo?).

5 – Imagine que faz tudo o que foi dito anteriormente

Se é daquelas pessoas que tem todas as pequenas despesas que indicamos anteriormente, está realmente em maus lençóis.

Vamos partir do principio que compra um maço de tabaco por dia (há pessoas que fumam bem mais do que isso), bebe dois cafés fora, compra uma raspadinha de 1€ por dia, e almoça perto do escritório.

Sabe quanto é que estas pequenas despesas pesam no seu orçamento? Pois bem, são 334,9€ que gasta nestas 4 coisas…

Sabe o que pode poupar se cortar nestas pequenas despesas? Pois bem, pode comprar muita coisa mesma.

Como perceber o que gasta a mais e como poupar?

Agora que já sabe mais ou menos quais as pequenas despesas que a grande maioria das pessoas gasta diariamente, já é possível começar a poupar.

Damos-lhe de seguida 5 dicas para começar ma fazer contas e perceber exatamente quanto está a gastar a mais. Conheça-as.

1 – Registe todas as suas despesas

É importante perceber que se pretende controlar as suas finanças é preciso que saiba exatamente quanto gasta por mês.

Este é o primeiro passo para quem quer começar a fazer seu controlo financeiro e controlar as pequenas despesas que na grande maioria das vezes são dispensáveis. Para ajudar nesta tarefa, você tem algumas opções:

·        Guardar todas as informações numa folha de excel;

·        Adquirir a licença de uma aplicação financeira e utilizar a mesma para realizar todos os apontamentos (sendo que muitas têm integração automática com o banco);

·        Apontar todos os dias numa agenda os valores que gasta (em tudo, sejam compras da casa ou uma peça de roupa que estava em saldos).

2 – Crie objetivos para os gastos que tem

Agora que você já sabe exatamente quais as despesas que tem todos os meses, é necessário criar metas para as mesmas, dividindo-as por categorias:

·        50% do ordenado para os gastos essenciais: todos aqueles necessários para se manter no dia a dia, como casa, alimentação, transporte, educação, etc.

·        15% do ordenado para prioridades financeiras: se tem algumas dívidas a sua prioridade dever ser eliminar as mesmas. Se não, poupar para o futuro.

·        35% do ordenado para estilo de vida: todos os gastos relacionados a hobbies e lazer, como ginásio, idas ao cabeleireiro, compras no shopping, jantar fora….

3 – Pague todas as contas no mesmo dia

Mude a data de pagamento de todas as suas contas fixas para o dia seguinte ao que recebe o seu ordenado.

Desta forma é mais simples organizar-se, já que assim que o dinheiro entra, já paga tudo o que deve e fica na conta apenas com o dinheiro necessário para as despesas do mês.

Muitas pessoas atrasam-se com pagamentos o que implica depois uma problema com taxas de juros.

4 – Procure outras fontes de rendimento

Para que ficar dependendo apenas do seu salário, quando você pode distribuir os ovos em várias caixinhas?

Já pensou em arranjar um trabalho de freelancer para fazer à noite ou aos fins de semana? Ou então, que tal transformar um hobby (costurar, pintar, cozinhar) numa nova fonte de renda?

Desta forma terá muito maior margem de manobra ao longo do mês. Sabemos que a maior parte das pessoas não quer passar as folgas a trabalhar, mas, acredite que o dinheiro pode dar-lhe algum jeito (principalmente se as suas despesas são maiores que as suas receitas).  

5 – Evite fazer compras a crédito

O grande problema do cartão de crédito é que o mesmo nos dá a falsa impressão de que temos um ordenado maior do que aquele que na realidade auferimos.

Dessa forma, uma boa estratégia para quem está a tentar poupar algum dinheiro é tirar o cartão de crédito da carteira por tempo indeterminado e pagar apenas com recurso ao cartão de débito ou dinheiro vivo.

Perguntas Frequentes

Todas as respostas às suas dúvidas sobre o crédito Credistar.

Sejá nosso parceiro

Aumente as suas vendas. Torne-se um parceiro Credistar.

Contactos Credistar

Contacte a equipa Credistar para esclarecimento de qualquer questão.

Testemunho
CLAUDIA SANTANA

O total dos meus créditos rondavam os 24.000€ e estava a pagar 865€ por mês. Após juntar todos os meus créditos, sem fiadores, passei a ter uma só mensalidade de apenas 315€/Mês.

Redução de 64% nas prestações. TAN 9,500% e TAEG 11,712%.

Testemunho
SOFIA E NUNO CAMPOS

Devíamos 19.000€ e tínhamos de pagar 677€/Mês. Depois da consolidação de créditos, sem incluir o crédito da casa, ficámos com uma mensalidade de 249€. Poupamos mais de 400€/Mês.

Redução de 63% nas prestações. TAN 9,500% e TAEG 12,024%.

Testemunho
MANUEL HENRIQUES

Queria fazer outro crédito de 5.000€ mas com a casa devia 130.000€ e pagava 2.097€/Mês. Segui a sugestão e fiz um crédito consolidado. Reduzi as prestações para 745€/Mês e já com os 5.000€ na conta.

Redução de 64% nas prestações. TAN 2,455% e TAER: 3,231%.

Testemunho
JOÃO SILVA

Fiz um pedido de 4.500€. Foram apresentadas várias propostas. Optei pagar o meu crédito em 72 vezes por 78,72€/Mês. Com esta prestação baixa vou juntar dinheiro para pagar antes, sem custos adicionais.

TAEG: 5,5% TAN: 4,70% MTIC: 5.268,78€.

Este site usa cookies, poderá consultar toda a informação na nossa página de Política de Privacidade. Reconheço e aceito que ao continuar a utilizar este site, dou o meu consentimento à utilização dos cookies deste site. Para mais informações sobre os cookies que utilizamos, como os gerimos e/ou apagamos, por favor consulte a nossa Política de Privacidade.