<[HEADING] class="logo-text">O crédito direito ao assunto
MENU
Ver Mais

Crédito Pessoal Formação: Para um financiamento de 8.000€, com a TAEG de 6,2% e TAN de 4,10% o prazo de reembolso é de 36 meses ao que corresponde uma mensalidade fixa de 237,14€. MTIC: 8.748,24€ dos quais 8.000€ reembolsam o capital concedido e 748,24€ respeitam ao custo total do crédito. Crédito sujeito a aprovação de Instituições Bancárias e Financeiras a operar legalmente em Portugal (ver lista).

Crédito Consolidado: para um financiamento de 20.000€, com a TAEG de 13,1% e TAN de 11,10% o prazo de reembolso é de 84 meses ao que corresponde uma mensalidade fixa de 348,20€. Montante total imputado ao consumidor: 29,776,80€ dos quais 20.000,00€ reembolsam o capital concedido e 9.776,80€ respeitam ao custo total do crédito. Crédito sujeito a aprovação de Instituições Bancárias e Financeiras a operar legalmente em Portugal (ver lista).

Testemunho
CLAUDIA SANTANA

O total dos meus créditos rondavam os 24.000€ e estava a pagar 865€ por mês. Após juntar todos os meus créditos, sem fiadores, passei a ter uma só mensalidade de apenas 315€/Mês.

Redução de 64% nas prestações. TAN 9,500% e TAEG 11,712%.

Testemunho
SOFIA E NUNO CAMPOS

Devíamos 19.000€ e tínhamos de pagar 677€/Mês. Depois da consolidação de créditos, sem incluir o crédito da casa, ficámos com uma mensalidade de 249€. Poupamos mais de 400€/Mês.

Redução de 63% nas prestações. TAN 9,500% e TAEG 12,024%.

Testemunho
MANUEL HENRIQUES

Queria fazer outro crédito de 5.000€ mas com a casa devia 130.000€ e pagava 2.097€/Mês. Segui a sugestão e fiz um crédito consolidado. Reduzi as prestações para 745€/Mês e já com os 5.000€ na conta.

Redução de 64% nas prestações. TAN 2,455% e TAER: 3,231%.

Testemunho
JOÃO SILVA

Fiz um pedido de 4.500€. Foram apresentadas várias propostas. Optei pagar o meu crédito em 72 vezes por 78,72€/Mês. Com esta prestação baixa vou juntar dinheiro para pagar antes, sem custos adicionais.

TAEG: 5,5% TAN: 4,70% MTIC: 5.268,78€.

O que é e para que serve o seguro de responsabilidade civil

O Decreto-Lei n.º72/2008, no seu artigo 137, define o seguro de responsabilidade civil como aquele em que “o segurador cobre o risco de constituição, no património do segurado, de uma obrigação de indemnizar terceiros.”.

Essa descrição abre diversas possibilidades acerca da cobertura e abrangência deste tipo de seguro.

Para melhor esclarecer o assunto, elaboramos este artigo com as principais informações que precisa conhecer acera desta tipologia de . Acompanhe.

Seguro de responsabilidade civil: Tudo o que precisa saber sobre este tema

Conforme mencionamos, o seguro de responsabilidade civil encontra respaldo no Decreto-Lei n.º72/2008. E, a sua finalidade é a cobertura sobre os riscos de o segurado ter de vir a indemnizar terceiros por danos que lhes cause.

Os danos podem ter origens diversas, como por exemplo, serem provenientes de:

  • Uma atividade (caça, montagem de aparelhos de gás, etc.)
  • Uma profissão (advogado, mediador de seguros, etc.)
  • Situações da vida familiar (danos causados a terceiros na habitação ou por um animal doméstico)

É importantes destacar que existem seguros de responsabilidade civil obrigatórios e também os facultativos.

Nos seguros obrigatórios, as coberturas mínimas encontram-se definidas na lei ou respectiva regulamentação.

Já no caso dos seguros facultativos, as coberturas são as que forem acordadas entre o tomador e o segurador.

Em relação ao período de cobertura do seguro, a menos que tenha sido acordado algo diferente, o seguro cobre a responsabilidade civil do segurado por factos ocorridos entre o início e o final do contrato.

Como proceder em caso de sinistro?

Em caso de sinistro, cabe ao tomador do seguro ou ao segurado o dever de comunicar a ocorrência, por escrito, ao segurador, no prazo indicado no contrato. Ou, na falta de prazo, em até oito dias a seguir da ciência do sinistro.

No caso de um seguro de responsabilidade civil facultativo, em regra, o lesado deve dirigir o seu pedido de indemnização ao causador do dano, que deverá entrar em contato com o segurador para acionar o seguro.

Tratando-se de seguros de responsabilidade civil obrigatórios, o lesado tem o direito de exigir o pagamento da indemnização diretamente ao segurador.

O valor da indemnização é determinado de acordo com o dano causado e tem como limite o valor do capital seguro.

É importante destacar que no caso de haver vários lesados e o valor total das indemnizações ultrapassar o capital seguro, este será dividido proporcionalmente entre os lesados.

O que está excluído da cobertura de um seguro de responsabilidade civil?

As apólices de seguros de responsabilidade civil normalmente possuem cláusulas que excluem certas situações da cobertura do seguro. Essa exclusão pode referir-se a:

  • Os acidentes devidos a atos de guerra, declarada ou não, hostilidades ou operações bélicas, insurreição, poder militar ou civil usurpado ou tentativa de usurpação do poder, atos terrorismo, vandalismo, maliciosos, sabotagem, greves, tumultos e “lock-out”;
  • Os pagamentos devidos a título de responsabilidade criminal, contra-ordenacão ou disciplinar
  • Incumprimento ou cumprimento defeituoso de obrigações de qualquer natureza, emergentes de acordo ou contrato celebrado pelo segurado, exceto no caso de se tratar de seguro obrigatório de responsabilidade civil
  • Decorrentes de atos causados por quem acuse consumo de estupefacientes ou outras drogas ou produtos tóxicos, ou por quem apresente taxa de alcoolémia ou por quem se encontre em estado de demência

Estes são somente alguns exemplos de exclusões no seguro, podendo haver mais situações a depender do contrato e do segurador.

Vale a pena contratar um seguro de responsabilidade civil não obrigatório?

A resposta para essa pergunta pode variar caso a caso. Entendemos que em casos onde há um maior risco de ocorrência de danos a terceiro, devio a uma atividade, por exemplo, é interessante contar com esta salvaguarda.

Por outro lado, todos estamos sujeitos a imprevistos que podem vir a causar prejuízos a outrem. Dessa forma, vale a pena fazer uma cotação nas seguradoras, conhecer a fundo as coberturas para ponderar sobre a necessidade ou não de contratar o seguro.

Perguntas Frequentes

Todas as respostas às suas dúvidas sobre o crédito Credistar.

Sejá nosso parceiro

Aumente as suas vendas. Torne-se um parceiro Credistar.

Contactos Credistar

Contacte a equipa Credistar para esclarecimento de qualquer questão.

Testemunho
CLAUDIA SANTANA

O total dos meus créditos rondavam os 24.000€ e estava a pagar 865€ por mês. Após juntar todos os meus créditos, sem fiadores, passei a ter uma só mensalidade de apenas 315€/Mês.

Redução de 64% nas prestações. TAN 9,500% e TAEG 11,712%.

Testemunho
SOFIA E NUNO CAMPOS

Devíamos 19.000€ e tínhamos de pagar 677€/Mês. Depois da consolidação de créditos, sem incluir o crédito da casa, ficámos com uma mensalidade de 249€. Poupamos mais de 400€/Mês.

Redução de 63% nas prestações. TAN 9,500% e TAEG 12,024%.

Testemunho
MANUEL HENRIQUES

Queria fazer outro crédito de 5.000€ mas com a casa devia 130.000€ e pagava 2.097€/Mês. Segui a sugestão e fiz um crédito consolidado. Reduzi as prestações para 745€/Mês e já com os 5.000€ na conta.

Redução de 64% nas prestações. TAN 2,455% e TAER: 3,231%.

Testemunho
JOÃO SILVA

Fiz um pedido de 4.500€. Foram apresentadas várias propostas. Optei pagar o meu crédito em 72 vezes por 78,72€/Mês. Com esta prestação baixa vou juntar dinheiro para pagar antes, sem custos adicionais.

TAEG: 5,5% TAN: 4,70% MTIC: 5.268,78€.

Contraste
Fontes legíveis
Este site usa cookies, poderá consultar toda a informação na nossa página de Política de Privacidade. Reconheço e aceito que ao continuar a utilizar este site, dou o meu consentimento à utilização dos cookies deste site. Para mais informações sobre os cookies que utilizamos, como os gerimos e/ou apagamos, por favor consulte a nossa Política de Privacidade.