<[HEADING] class="logo-text">O crédito direito ao assunto
MENU
Ver Mais

Crédito Pessoal Formação: Para um financiamento de 8.000€, com a TAEG de 6,2% e TAN de 4,10% o prazo de reembolso é de 36 meses ao que corresponde uma mensalidade fixa de 237,14€. MTIC: 8.748,24€ dos quais 8.000€ reembolsam o capital concedido e 748,24€ respeitam ao custo total do crédito. Crédito sujeito a aprovação de Instituições Bancárias e Financeiras a operar legalmente em Portugal (ver lista).

Crédito Consolidado: para um financiamento de 20.000€, com a TAEG de 13,1% e TAN de 11,10% o prazo de reembolso é de 84 meses ao que corresponde uma mensalidade fixa de 348,20€. Montante total imputado ao consumidor: 29,776,80€ dos quais 20.000,00€ reembolsam o capital concedido e 9.776,80€ respeitam ao custo total do crédito. Crédito sujeito a aprovação de Instituições Bancárias e Financeiras a operar legalmente em Portugal (ver lista).

Testemunho
CLAUDIA SANTANA

O total dos meus créditos rondavam os 24.000€ e estava a pagar 865€ por mês. Após juntar todos os meus créditos, sem fiadores, passei a ter uma só mensalidade de apenas 315€/Mês.

Redução de 64% nas prestações. TAN 9,500% e TAEG 11,712%.

Testemunho
SOFIA E NUNO CAMPOS

Devíamos 19.000€ e tínhamos de pagar 677€/Mês. Depois da consolidação de créditos, sem incluir o crédito da casa, ficámos com uma mensalidade de 249€. Poupamos mais de 400€/Mês.

Redução de 63% nas prestações. TAN 9,500% e TAEG 12,024%.

Testemunho
MANUEL HENRIQUES

Queria fazer outro crédito de 5.000€ mas com a casa devia 130.000€ e pagava 2.097€/Mês. Segui a sugestão e fiz um crédito consolidado. Reduzi as prestações para 745€/Mês e já com os 5.000€ na conta.

Redução de 64% nas prestações. TAN 2,455% e TAER: 3,231%.

Testemunho
JOÃO SILVA

Fiz um pedido de 4.500€. Foram apresentadas várias propostas. Optei pagar o meu crédito em 72 vezes por 78,72€/Mês. Com esta prestação baixa vou juntar dinheiro para pagar antes, sem custos adicionais.

TAEG: 5,5% TAN: 4,70% MTIC: 5.268,78€.

Maus hábitos financeiros que precisa colocar de lado

São cada vez mais as pessoas que tentam corrigir os seus maus hábitos financeiros. Contudo, a verdade é que na grande maioria das vezes os mesmos não sabem sequer que os estão a cometer.

Desta forma, resolvemos hoje indicar-lhe quais são os 5 piores hábitos que pode ter. E damos-lhe também algumas dicas do que fazer para os corrigir.

Vai ver que depois de os conhecer vai ser muito mais simples evitá-los.

Maus hábitos financeiros: Conheça estes 5 

Cometer erros faz parte da nossa aprendizagem, seja em que área for. Porém, há erros que nos saem mais caros que outros. Desta forma, apresentamos-lhe o top 5 de maus hábitos financeiros e como corrigi-los.

Acredite que vai realmente fazer a diferença na sua vida!

1 – Não fazer orçamentos

A verdade é que este é um daqueles conselhos que são dados em praticamente todas as dicas de poupanças. E mesmo correndo o risco de nos tornarmos repetitivos achamos que vale a pena correr esse risco.

Tenha sempre em mente que um bom orçamento mensal é a melhor ferramenta para o ajudar a fazer face às despesas dos meses seguintes. Além disso o mesmo vai ajudá-lo a perceber onde está a gastar mais dinheiro (ou dinheiro desnecessário), de forma a que possa então ajustar os seus gastos para poupar no dia a dia. Desta forma vai conseguir obter uma poupança mensal superior.

De facto, o orçamento mensal é a sua melhor arma para se precaver para o futuro, pois consegue mais facilmente estabilizar a sua vida financeira.

2 – Pagar o mínimo nos cartões de crédito

Existem diversas modalidades associadas ao pagamento dos cartões de crédito, sendo que as mesmas vão dos 3% aos 100%.

Sempre que optar por pagar 100% do valor do mesmo, significa que a prestação que pagará do seu cartão será o total do montante em dívida.

Por exemplo, se tiver a modalidade de pagamento a 100% e este mês tiver gasto 100€ no cartão de crédito, no próximo mês vai ser-lhes descontado esse valor na íntegra de forma a repor o plafond do cartão.

Por norma, ao assumir pagar a totalidade, não irá pagar quaisquer juros associados ao financiamento. Mas, se optar por qualquer outra opção de pagamento irá fazê-lo pagar juros (e altíssimos), pelo que a longo prazo irá gastar muito mais dinheiro.

Pode ainda usufruir do crédito sem juros, mas, lá está, tem 50 dias (no máximo) para fazer o pagamento na totalidade do seu valor.

3 – Não ter um fundo de emergência

Todas as pessoas devem ter um fundo de emergência de forma a que despesas inesperadas como uma avaria no carro, reparações necessárias em casa, um problema de saúde, etc., farão com que recorra ao cartão de crédito ou até a um empréstimo pessoal, deixando-o mais próximo de uma situação de endividamento.

Uma das melhores dicas que lhe podemos dar é tentar poupar entre 5% a 10% do valor que aufere mensalmente de ordenado. Sabemos que nem sempre será simples, mas é essencial para a sua estabilidade financeira.

De forma a facilitar a tarefa, pode recorrer à poupança automática, que fará a transferência da sua conta para a conta do seu fundo de emergência de forma automática todos os meses (podendo definir o valor que pretende).

O ideal é que consiga – no mínimo – o equivalente a um mês de vencimento para que esteja mais à vontade caso aconteça alguma situação inesperada e que envolva despesas.

Se não consegue “dispensar” 10% ou mesmo 5% do seu vencimento mensal, vá poupando quando e tudo o que conseguir. O importante é não deixar de construir um fundo de emergência, pois o mesmo poderá ser uma segurança adicional para o seu dia a dia.

4 – Não negociar valores

Como é óbvio não estamos a dizer que deve ir a uma loja de equipamentos eletrónicos e tentar negociar o valor dos mesmos (é completamente impossível).

Contudo, seguros, possíveis dívidas, rendas, créditos e salário são apenas alguns campos perfeitamente negociáveis e que deveria ponderar negociar para reduzir encargos e melhorar a sua qualidade de vida.

Como é óbvio é importante que se muna de todas as ferramentas de forma a poder negociar melhor e de forma irrepreensível.

5 – Não ter objetivos para a sua vida

A verdade é que ter metas e objetivos bem definidos é essencial para saber onde está e onde deseja chegar no futuro.

As finanças pessoais não são exceção e não definir objetivos é um dos maus hábitos financeiros da grande maioria dos portugueses. Se souber para o que está a poupar, vai ser muito mais fácil fazê-lo.

Se não tiver um objetivo específico (por exemplo: Quanto dinheiro quer poupar por mês? Quanto dinheiro quer ter para as suas férias daqui a 6 meses? Quanto é que precisa poupar para comprar o seu carro ou casa de sonho?) como alvo, irá contentar-se com qualquer resultado atingido (e vai gastar mais do que deveria).

Agora que já sabe quais são os maus hábitos financeiros a evitar, está na altura de começar hoje mesmo a contorná-los. Acredite que não é assim tão difícil como provavelmente está a pensar. 

Perguntas Frequentes

Todas as respostas às suas dúvidas sobre o crédito Credistar.

Sejá nosso parceiro

Aumente as suas vendas. Torne-se um parceiro Credistar.

Contactos Credistar

Contacte a equipa Credistar para esclarecimento de qualquer questão.

Testemunho
CLAUDIA SANTANA

O total dos meus créditos rondavam os 24.000€ e estava a pagar 865€ por mês. Após juntar todos os meus créditos, sem fiadores, passei a ter uma só mensalidade de apenas 315€/Mês.

Redução de 64% nas prestações. TAN 9,500% e TAEG 11,712%.

Testemunho
SOFIA E NUNO CAMPOS

Devíamos 19.000€ e tínhamos de pagar 677€/Mês. Depois da consolidação de créditos, sem incluir o crédito da casa, ficámos com uma mensalidade de 249€. Poupamos mais de 400€/Mês.

Redução de 63% nas prestações. TAN 9,500% e TAEG 12,024%.

Testemunho
MANUEL HENRIQUES

Queria fazer outro crédito de 5.000€ mas com a casa devia 130.000€ e pagava 2.097€/Mês. Segui a sugestão e fiz um crédito consolidado. Reduzi as prestações para 745€/Mês e já com os 5.000€ na conta.

Redução de 64% nas prestações. TAN 2,455% e TAER: 3,231%.

Testemunho
JOÃO SILVA

Fiz um pedido de 4.500€. Foram apresentadas várias propostas. Optei pagar o meu crédito em 72 vezes por 78,72€/Mês. Com esta prestação baixa vou juntar dinheiro para pagar antes, sem custos adicionais.

TAEG: 5,5% TAN: 4,70% MTIC: 5.268,78€.

Contraste
Fontes legíveis
Este site usa cookies, poderá consultar toda a informação na nossa página de Política de Privacidade. Reconheço e aceito que ao continuar a utilizar este site, dou o meu consentimento à utilização dos cookies deste site. Para mais informações sobre os cookies que utilizamos, como os gerimos e/ou apagamos, por favor consulte a nossa Política de Privacidade.