<[HEADING] class="logo-text">O crédito direito ao assunto
MENU
Ver Mais

Crédito Pessoal Formação: Para um financiamento de 8.000€, com a TAEG de 6,2% e TAN de 4,10% o prazo de reembolso é de 36 meses ao que corresponde uma mensalidade fixa de 237,14€. MTIC: 8.748,24€ dos quais 8.000€ reembolsam o capital concedido e 748,24€ respeitam ao custo total do crédito. Crédito sujeito a aprovação de Instituições Bancárias e Financeiras a operar legalmente em Portugal (ver lista).

Crédito Consolidado: para um financiamento de 20.000€, com a TAEG de 13,1% e TAN de 11,10% o prazo de reembolso é de 84 meses ao que corresponde uma mensalidade fixa de 348,20€. Montante total imputado ao consumidor: 29,776,80€ dos quais 20.000,00€ reembolsam o capital concedido e 9.776,80€ respeitam ao custo total do crédito. Crédito sujeito a aprovação de Instituições Bancárias e Financeiras a operar legalmente em Portugal (ver lista).

Testemunho
CLAUDIA SANTANA

O total dos meus créditos rondavam os 24.000€ e estava a pagar 865€ por mês. Após juntar todos os meus créditos, sem fiadores, passei a ter uma só mensalidade de apenas 315€/Mês.

Redução de 64% nas prestações. TAN 9,500% e TAEG 11,712%.

Testemunho
SOFIA E NUNO CAMPOS

Devíamos 19.000€ e tínhamos de pagar 677€/Mês. Depois da consolidação de créditos, sem incluir o crédito da casa, ficámos com uma mensalidade de 249€. Poupamos mais de 400€/Mês.

Redução de 63% nas prestações. TAN 9,500% e TAEG 12,024%.

Testemunho
MANUEL HENRIQUES

Queria fazer outro crédito de 5.000€ mas com a casa devia 130.000€ e pagava 2.097€/Mês. Segui a sugestão e fiz um crédito consolidado. Reduzi as prestações para 745€/Mês e já com os 5.000€ na conta.

Redução de 64% nas prestações. TAN 2,455% e TAER: 3,231%.

Testemunho
JOÃO SILVA

Fiz um pedido de 4.500€. Foram apresentadas várias propostas. Optei pagar o meu crédito em 72 vezes por 78,72€/Mês. Com esta prestação baixa vou juntar dinheiro para pagar antes, sem custos adicionais.

TAEG: 5,5% TAN: 4,70% MTIC: 5.268,78€.

Empréstimo habitação jovem: como conseguir a melhor oferta

Muitos jovens têm como objetivo comprar uma habitação, e por norma, gostam de dar este passo o mais cedo possível. E, pensando especificamente neste público, muitos bancos comercializam o empréstimo habitação jovem

Iniciar a vida adulta significa fazer muitos planos para o futuro. E ter uma carreira consolidada, estabilidade financeira e uma vida independente são os pontos vitais. O primeiro passo geralmente consiste na procura de um espaço próprio para começar a trilhar o próprio caminho.

As ofertas de empréstimo para este fim apresentam condições diferenciadas para jovens que querem adquirir casa própria, mas que ainda estão a iniciar a vida profissional e por isso não têm uma renda estável.

A seguir, vamos explicar como funciona este tipo de empréstimo, e como pode conseguir a melhor oferta.

Empréstimo habitação jovem: O que é e como funciona

Em termos simples, o empréstimo habitação jovem consiste num financiamento com condições específicas, direcionado para jovens que desejam comprar casa, com idades compreendidas entre os 18 e os 35 anos.

Sabemos que os bancos analisam com rigidez os perfis de clientes que solicitam o crédito habitação. Por isso, os jovens ainda em início de carreira profissional têm uma desvantagem quando falamos em aprovação deste crédito.

Pensando em atender este público, algumas entidades bancárias oferecem condições diferenciadas e mais acessíveis. Assim os jovens têm condições para contratar um empréstimo habitação com um contrato mais flexível.

Embora cada banco tenha uma oferta especifica, as bonificações do empréstimo habitação jovem geralmente consistem na redução do spread. Mas isto acontece mediante a contratação de outros produtos ou serviços.

Isso significa que quem contratar esta modalidade de crédito poderá ter uma redução nas prestações mensais durante os primeiros anos de amortização.

É importante acrescentar que apesar de serem poucos os bancos que comercializam este tipo específico de crédito, em algumas instituições é possível obter as bonificações nos contratos de crédito habitação tradicionais.

O que considerar para conseguir a melhor oferta?

Tomar uma decisão desta proporção ainda tão jovem pode acarretar numa obrigação demasiadamente custosa caso não tenha um bom plano.

O facto de ainda não ter uma carreira e condições financeiras estáveis pode ser um problema. Mas é possível contornar quando se tem organização e uma visão prática do futuro.

Veja a seguir o que deve considerar para conseguir a melhor oferta.

1 - Saiba quanto pode pagar

Antes de escolher uma casa, estipule quanto pode pagar. Se não o fizer pode acabar por procurar opções de imóveis que não estão no orçamento e assim não conseguir pagar.

Utilize os simuladores para avaliar qual o valor da prestação cabe no seu bolso, e a partir daí poderá filtrar melhor a procura pelo imóvel.

2 - Pense no futuro

Fazer uma projeção de 5 a 10 anos também vai ajudar na escolha do imóvel. Considere se há planos para aumentar a família, se pretende morar sozinho, entre outros.

Dessa forma poderá adquirir um imóvel que supra as necessidades a longo prazo.

3 - Tente negociar com o seu banco

Conforme mencionamos, não são muitas as ofertas de empréstimo habitação jovem. Entretanto, vale a pena negociar com o banco com quem já possui um relacionamento.

Esteja certo de que o facto de ser jovem poderá fechar-lhe algumas portas de bancos em relação à contratação de um crédito habitação.

Mas, se já é cliente de uma instituição e possui um bom relacionamento, vale a pena tentar negociar condições mais vantajosas para o seu perfil.

4 - Tenha um valor de entrada

Está cada vez mais difícil encontrar um financiamento a 100%, ainda mais quando se está na faixa etária jovem.

Portanto, para garantir maiores hipóteses de aprovação do empréstimo, comece antes por constituir um depósito a prazo ou um programa de entregas programadas. O objetivo é acumular entre 10% a 15% do valor do imóvel.

Com planeamento e organização certamente conseguirá realizar o sonho de ter a sua própria habitação através do empréstimo habitação jovem.

Perguntas Frequentes

Todas as respostas às suas dúvidas sobre o crédito Credistar.

Sejá nosso parceiro

Aumente as suas vendas. Torne-se um parceiro Credistar.

Contactos Credistar

Contacte a equipa Credistar para esclarecimento de qualquer questão.

Testemunho
CLAUDIA SANTANA

O total dos meus créditos rondavam os 24.000€ e estava a pagar 865€ por mês. Após juntar todos os meus créditos, sem fiadores, passei a ter uma só mensalidade de apenas 315€/Mês.

Redução de 64% nas prestações. TAN 9,500% e TAEG 11,712%.

Testemunho
SOFIA E NUNO CAMPOS

Devíamos 19.000€ e tínhamos de pagar 677€/Mês. Depois da consolidação de créditos, sem incluir o crédito da casa, ficámos com uma mensalidade de 249€. Poupamos mais de 400€/Mês.

Redução de 63% nas prestações. TAN 9,500% e TAEG 12,024%.

Testemunho
MANUEL HENRIQUES

Queria fazer outro crédito de 5.000€ mas com a casa devia 130.000€ e pagava 2.097€/Mês. Segui a sugestão e fiz um crédito consolidado. Reduzi as prestações para 745€/Mês e já com os 5.000€ na conta.

Redução de 64% nas prestações. TAN 2,455% e TAER: 3,231%.

Testemunho
JOÃO SILVA

Fiz um pedido de 4.500€. Foram apresentadas várias propostas. Optei pagar o meu crédito em 72 vezes por 78,72€/Mês. Com esta prestação baixa vou juntar dinheiro para pagar antes, sem custos adicionais.

TAEG: 5,5% TAN: 4,70% MTIC: 5.268,78€.

Contraste
Fontes legíveis
Este site usa cookies, poderá consultar toda a informação na nossa página de Política de Privacidade. Reconheço e aceito que ao continuar a utilizar este site, dou o meu consentimento à utilização dos cookies deste site. Para mais informações sobre os cookies que utilizamos, como os gerimos e/ou apagamos, por favor consulte a nossa Política de Privacidade.