<[HEADING] class="logo-text">O crédito direito ao assunto
MENU
Ver Mais

​Crédito Pessoal Formação com TAEG a partir de 5,5% para TAN de 3,90%, consoante o prazo escolhido, Taxa Fixa, Prazo entre 24 a 120 meses. Montante a financiar entre 2.500€ a 75.000€. Crédito sujeito a aprovação de Instituições Bancárias e Financeiras a operar legalmente em Portugal (ver lista). Prazo mínimo de 12 meses e máximo de 120 meses. TAEG a partir de 5,5% até ao máximo de 14.6%.

Crédito Consolidado sem garantia hipotecária com TAEG a partir de 11,70%, TAN a partir de 9,50%, Taxa Fixa, Prazo entre 12 a 120 meses. Montante a financiar entre 5.000€ a 75.000€. Crédito sujeito a aprovação de Instituições Bancárias e Financeiras legalmente a operar em Portugal. Prazo mínimo de reembolso de 24 Meses e Máximo de 120 meses. TAEG a partir de 2,445% até ao máximo de 14,2%.

Testemunho
CLAUDIA SANTANA

O total dos meus créditos rondavam os 24.000€ e estava a pagar 865€ por mês. Após juntar todos os meus créditos, sem fiadores, passei a ter uma só mensalidade de apenas 315€/Mês.

Redução de 64% nas prestações. TAN 9,500% e TAEG 11,712%.

Testemunho
SOFIA E NUNO CAMPOS

Devíamos 19.000€ e tínhamos de pagar 677€/Mês. Depois da consolidação de créditos, sem incluir o crédito da casa, ficámos com uma mensalidade de 249€. Poupamos mais de 400€/Mês.

Redução de 63% nas prestações. TAN 9,500% e TAEG 12,024%.

Testemunho
MANUEL HENRIQUES

Queria fazer outro crédito de 5.000€ mas com a casa devia 130.000€ e pagava 2.097€/Mês. Segui a sugestão e fiz um crédito consolidado. Reduzi as prestações para 745€/Mês e já com os 5.000€ na conta.

Redução de 64% nas prestações. TAN 2,455% e TAER: 3,231%.

Testemunho
JOÃO SILVA

Fiz um pedido de 4.500€. Foram apresentadas várias propostas. Optei pagar o meu crédito em 72 vezes por 78,72€/Mês. Com esta prestação baixa vou juntar dinheiro para pagar antes, sem custos adicionais.

TAEG: 5,5% TAN: 4,70% MTIC: 5.268,78€.

Deve ou não fazer créditos pessoais rápidos entre particulares 

Deve ou não fazer créditos pessoais rápidos entre particulares  

Os créditos pessoais rápidos entre particulares estão cada vez mais na “moda”.  

Existem múltiplas razões para as pessoas fazerem este tipo de crédito. Mas, a que nos vem imediatamente à memória é o facto de (provavelmente) estas já não terem possibilidade para solicitar um crédito bancário 

Assim, pedir um financiamento a alguém próximo pode ser uma opção a ponderarMas, é importante frisar que existem exceções. Hoje explicamos-lhe tudo sobre este tema de forma a que possa estar informado em caso de necessidade.   

Créditos pessoais rápidos particulares: O que são?  

Normalmente, estes créditos são pedidos a pessoas próximas em quem confiamos, sejam eles familiares ou amigos.   

Como em todos os créditos existentes, este também tem as suas regras específicas. Estas regras servem para salvaguardar ambas as partes, para que não haja qualquer tipo de “mal-entendido”. 

Um mal-entendido pode ser muitas vezes a razão para muitos desentendimentos, porque mesmo com familiares e amigos devemos cumprir o combinado.   

Os empréstimos entre particulares, são então como referido anteriormente concedidos entre particulares. Ou seja, sem o envolvimento de instituições financeiras. Consistem na concessão de um montante pré-definido entre ambos, sabendo que estas duas definem entre si prazos e taxas de juro a aplicar.   

Quais os cuidados a ter ao realizar um empréstimo?   

Como sabemos somos bombardeados constantemente por anúncios e informação persuasiva e enganosa. Um dos sítios mais aliciantes para este fenómeno é a Internet.   

A Internet e neste caso as redes sociais são bastante úteis, mas por vezes podem trazer-nos bastantes desvantagens.  

Dado o gigantesco alcance que as redes sociais como o Facebook (e plataformas como o OLX) têm atualmente, existem alguns sistemas de empréstimos que recorrem a estas para enganar pessoas que estejam à procura de dinheiro fácil e rápido.   

Esteja atento a isto, e caso veja anúncios, com taxas de juro entre 2% e 5%, fuja se não quer ser perder dinheiro.   

O que é preciso para realizar este crédito?   

De forma simplificada este pedido de crédito urgente entre particulares também precisa de um documento. É assim necessário assinar um documento sempre que o valor esteja entre os 2 500 e 25 000 euros.   

No caso referido anteriormente, ambas as partes são obrigadas a assinar o mesmo. Este documento explica assim todas as normas que irão ser impostas a partir do momento em que o mesmo se inicia.  

Deve ser levado a um notário ou solicitador para que, em caso de dúvida, não haja problemas, como o incumprimento do pagamento, por exemplo.   

Quais as burocracias existentes?   

Como referido anteriormente, todo o tipo de empréstimos tem juros. Este não é uma exceção.  

Também no crédito pessoal rápido entre particulares deverá ficar acordado quais são os valores a pagar e as suas taxas de juro respetivas.  

Mas, esta taxa de juro não pode ser definida por quem lhe empresta dinheiro, como este bem entender. As taxas de juro devem respeitar os limites máximos definidos pela taxa de usura em vigor atualmente.   

O juro que terá de pagar, tem que ser definido por ambas as partes. O devedor terá de pagar uma taxa máxima de 3%, se existir garantia sobre o pagamento, e uma taxa de 5% se não existir garantia. Estes valores aplicam-se sobre a taxa de juro legal.   

Se o empréstimo realizado for superior a 25 000 então é aconselhável que faça sem sombra de dúvidas, um documento ou que solicite um solicitador. Em alternativa poderá fazer uma escritura pública. 

Prazos de pagamento: Em quanto tempo posso pagar este empréstimo?  

Se, nos basearmos na lei, esta não determina nenhuma obrigatoriedade em termos de prazos de pagamento.  

De qualquer das maneiras, deve ser estipulado um prazo para que tanto quem empresta o dinheiro, como quem está a pedir não possa apontar nada nesse sentido 

Os empréstimos tanto a bancos como a particulares são algo dispendioso e que deve ser muito bem pensado antes de ser realizado.   

Como resolver o problema, caso a dívida não seja paga?   

Imaginemos que foi definido um prazo de 60 dias e infelizmente teve um imprevisto nos últimos dias em que teria de pagar o empréstimo.  

Em primeiro lugar, terá de falar com a pessoa que lhe está a emprestar o dinheiro, com a condição de que o pagamento será feito o quanto antes, pedindo-lhe assim que esta abra uma exceção e prolongue um pouco o prazo de pagamento.   

Caso o problema esteja cada vez mais prolongado apresente o documento reconhecido pelo notário, pois pode ser a peça fundamental para resolver o problema.   

No caso de o valor em dívida ser inferior a 5000 euros, o problema, poderá ser resolvido através de um julgado de paz.   

Até aos 15 000 euros deverá pôr um caso de injunção. Por último, se o valor for superior a 15 000 terá mesmo que optar por um processo judicial comum.   

Esperamos que este artigo lhe tenha sido útil e caso se identifique com o mesmo, possa usufruir das dicas que lhe damos.  

Como referido anteriormente, é comum que necessitemos de dinheiro e que em alguns casos os bancos já não estejam dispostos a ajudar-nos por dívidas ou outras impossibilidades.  

Por isto, hoje falámos de crédito pessoal rápido entre particulares, que por vezes é bastante útil devido (em certos casos) à proximidade que temos de quem nos irá fazer o tal empréstimo.  

De qualquer das maneiras, não se esqueça que deve cumprir tudo o que acordou previamente antes de lhe ser dado o valor relativo ao crédito. Caso contrário poderá ter alguns problemas que não vão ocorrer se cumprir com o que acordou.   

Perguntas Frequentes

Todas as respostas às suas dúvidas sobre o crédito Credistar.

Sejá nosso parceiro

Aumente as suas vendas. Torne-se um parceiro Credistar.

Contactos Credistar

Contacte a equipa Credistar para esclarecimento de qualquer questão.

Testemunho
CLAUDIA SANTANA

O total dos meus créditos rondavam os 24.000€ e estava a pagar 865€ por mês. Após juntar todos os meus créditos, sem fiadores, passei a ter uma só mensalidade de apenas 315€/Mês.

Redução de 64% nas prestações. TAN 9,500% e TAEG 11,712%.

Testemunho
SOFIA E NUNO CAMPOS

Devíamos 19.000€ e tínhamos de pagar 677€/Mês. Depois da consolidação de créditos, sem incluir o crédito da casa, ficámos com uma mensalidade de 249€. Poupamos mais de 400€/Mês.

Redução de 63% nas prestações. TAN 9,500% e TAEG 12,024%.

Testemunho
MANUEL HENRIQUES

Queria fazer outro crédito de 5.000€ mas com a casa devia 130.000€ e pagava 2.097€/Mês. Segui a sugestão e fiz um crédito consolidado. Reduzi as prestações para 745€/Mês e já com os 5.000€ na conta.

Redução de 64% nas prestações. TAN 2,455% e TAER: 3,231%.

Testemunho
JOÃO SILVA

Fiz um pedido de 4.500€. Foram apresentadas várias propostas. Optei pagar o meu crédito em 72 vezes por 78,72€/Mês. Com esta prestação baixa vou juntar dinheiro para pagar antes, sem custos adicionais.

TAEG: 5,5% TAN: 4,70% MTIC: 5.268,78€.

Contraste
Fontes legíveis
Este site usa cookies, poderá consultar toda a informação na nossa página de Política de Privacidade. Reconheço e aceito que ao continuar a utilizar este site, dou o meu consentimento à utilização dos cookies deste site. Para mais informações sobre os cookies que utilizamos, como os gerimos e/ou apagamos, por favor consulte a nossa Política de Privacidade.