<[HEADING] class="logo-text">O crédito direito ao assunto
MENU
Ver Mais

Crédito Pessoal Formação: Para um financiamento de 8.000€, com a TAEG de 6,2% e TAN de 4,10% o prazo de reembolso é de 36 meses ao que corresponde uma mensalidade fixa de 237,14€. MTIC: 8.748,24€ dos quais 8.000€ reembolsam o capital concedido e 748,24€ respeitam ao custo total do crédito. Crédito sujeito a aprovação de Instituições Bancárias e Financeiras a operar legalmente em Portugal (ver lista).

Crédito Consolidado: para um financiamento de 20.000€, com a TAEG de 13,1% e TAN de 11,10% o prazo de reembolso é de 84 meses ao que corresponde uma mensalidade fixa de 348,20€. Montante total imputado ao consumidor: 29,776,80€ dos quais 20.000,00€ reembolsam o capital concedido e 9.776,80€ respeitam ao custo total do crédito. Crédito sujeito a aprovação de Instituições Bancárias e Financeiras a operar legalmente em Portugal (ver lista).

Taxa Máxima Anual Aplicável 15,6%. Prazo mínimo de reembolso 12 meses e máximo de 84 meses.

Testemunho
CLAUDIA SANTANA

O total dos meus créditos rondavam os 24.000€ e estava a pagar 865€ por mês. Após juntar todos os meus créditos, sem fiadores, passei a ter uma só mensalidade de apenas 315€/Mês.

Redução de 64% nas prestações. TAN 9,500% e TAEG 11,712%.

Testemunho
SOFIA E NUNO CAMPOS

Devíamos 19.000€ e tínhamos de pagar 677€/Mês. Depois da consolidação de créditos, sem incluir o crédito da casa, ficámos com uma mensalidade de 249€. Poupamos mais de 400€/Mês.

Redução de 63% nas prestações. TAN 9,500% e TAEG 12,024%.

Testemunho
MANUEL HENRIQUES

Queria fazer outro crédito de 5.000€ mas com a casa devia 130.000€ e pagava 2.097€/Mês. Segui a sugestão e fiz um crédito consolidado. Reduzi as prestações para 745€/Mês e já com os 5.000€ na conta.

Redução de 64% nas prestações. TAN 2,455% e TAER: 3,231%.

Testemunho
JOÃO SILVA

Fiz um pedido de 4.500€. Foram apresentadas várias propostas. Optei pagar o meu crédito em 72 vezes por 78,72€/Mês. Com esta prestação baixa vou juntar dinheiro para pagar antes, sem custos adicionais.

TAEG: 5,5% TAN: 4,70% MTIC: 5.268,78€.

Como se faz uma transferência de crédito

Um contrato de crédito é uma obrigação a longo prazo e neste tempo muita coisa pode acontecer, como alterações de taxas. Por este motivo, às vezes pode ser vantajoso fazer uma transferência de crédito.

Quando os termos de um empréstimo já não são vantajosos, muitos acabam por optar por esta transferência. A operação financeira envolve a substituição do banco responsável pelo contrato.

Mas, como será que funciona este processo? Se já pensou em fazer a transferência, porém não sabe como o fazer, continue a leitura! Vai conhecer as principais informações neste sentido.

Transferência de crédito: Saiba como funciona esta operação bancária

Se tem um crédito habitação, ou um crédito ao consumo, é interessante comparar de vez em quando as condições do contrato.

Isso porque, a depender da situação económica do país, as taxas de juro podem baixar e tornarem-se mais vantajosas. Neste cenário, transferir um crédito pode resultar numa boa poupança.

1 – O que considerar antes de decidir fazer a transferência?

Não pode decidir fazer a transferência apenas por achar que a prestação está muito elevada. É preciso se certificar de forma concreta sobre a possibilidade de desfrutar de melhores condições contratuais.

O primeiro passo é, portanto, fazer simulações e comparações entre os termos do contrato original e os de uma possível transferência. É importante saber que para que essa operação seja uma boa solução, a poupança deve ser significativa.

2 – Os custos associados à operação

Há que considerar também que a operação pode envolver certos custos. Mas é possível encontrar bancos que suportam os custos totais associados à transferência de crédito.

Tenha atenção aos valores de comissão por reembolso antecipado, que podem variar entre 0,5% e 2% do valor em dívida a depender do tipo de taxa.

Além disso, poderá ter que arcar com outros custos e comissões que envolvem a transferência do contrato. É preciso avaliar se o peso destes encargos compensa a transferência do crédito.

É possível aproveitar algumas condições especiais, em que a isenção dessas comissões, são suportadas pelos bancos parcialmente ou integralmente. Contudo, deve se certificar sobre a possibilidade de usufruir de tais condições.

3 – Documentos necessários

A transferência de crédito vai gerar um novo contrato, por isso, alguns documentos serão essenciais para formalizar a operação, como:

  • Documento de identificação
  • Comprovativo de morada e de IBAN
  • Última declaração de IRS
  • Nota de Liquidação
  • Os últimos 3 recibos de vencimento
  • Os últimos 3 meses de extratos bancários
  • Uma cópia da Escritura (em caso de crédito habitação)
  • Declaração da entidade patronal
  • Mapa de Responsabilidades de Crédito do Banco de Portugal
  • Outros documentos que podem ser solicitados pelo banco

É muito importante ressaltar que qualquer consumidor, titular de um contrato de crédito, pode transferi-lo para outra instituição bancária.

Contudo, é necessário emitir um aviso prévio de dez dias úteis ao banco informando da intenção.

4 – Quais as vantagens obtidas?

Certamente, a principal vantagem obtida com a transferência de crédito é a poupança e alívio no orçamento, uma vez que as prestações serão reduzidas.

Isso vai possibilitar a muitos consumidores retomar o controlo das suas finanças. Pode até mesmo ser um fator fundamental para evitar o incumprimento e endividamento.

Portanto, antes que a sua prestação de crédito se torne num encargo que não consegue suportar, considere fazer uma transferência.

Faça a avaliação periódica do seu contrato e confronte estas informações com a sua realidade financeira. Esteja atento às informações do nosso artigo e verifique se a transferência de crédito é a melhor solução!

Perguntas Frequentes

Todas as respostas às suas dúvidas sobre o crédito Credistar.

Sejá nosso parceiro

Aumente as suas vendas. Torne-se um parceiro Credistar.

Contactos Credistar

Contacte a equipa Credistar para esclarecimento de qualquer questão.

Testemunho
CLAUDIA SANTANA

O total dos meus créditos rondavam os 24.000€ e estava a pagar 865€ por mês. Após juntar todos os meus créditos, sem fiadores, passei a ter uma só mensalidade de apenas 315€/Mês.

Redução de 64% nas prestações. TAN 9,500% e TAEG 11,712%.

Testemunho
SOFIA E NUNO CAMPOS

Devíamos 19.000€ e tínhamos de pagar 677€/Mês. Depois da consolidação de créditos, sem incluir o crédito da casa, ficámos com uma mensalidade de 249€. Poupamos mais de 400€/Mês.

Redução de 63% nas prestações. TAN 9,500% e TAEG 12,024%.

Testemunho
MANUEL HENRIQUES

Queria fazer outro crédito de 5.000€ mas com a casa devia 130.000€ e pagava 2.097€/Mês. Segui a sugestão e fiz um crédito consolidado. Reduzi as prestações para 745€/Mês e já com os 5.000€ na conta.

Redução de 64% nas prestações. TAN 2,455% e TAER: 3,231%.

Testemunho
JOÃO SILVA

Fiz um pedido de 4.500€. Foram apresentadas várias propostas. Optei pagar o meu crédito em 72 vezes por 78,72€/Mês. Com esta prestação baixa vou juntar dinheiro para pagar antes, sem custos adicionais.

TAEG: 5,5% TAN: 4,70% MTIC: 5.268,78€.

Contraste
Fontes legíveis
Este site usa cookies, poderá consultar toda a informação na nossa página de Política de Privacidade. Reconheço e aceito que ao continuar a utilizar este site, dou o meu consentimento à utilização dos cookies deste site. Para mais informações sobre os cookies que utilizamos, como os gerimos e/ou apagamos, por favor consulte a nossa Política de Privacidade.