<[HEADING] class="logo-text">O crédito direito ao assunto
MENU
Ver Mais

​Crédito Pessoal Formação com TAEG a partir de 5,5% para TAN de 3,90%, consoante o prazo escolhido, Taxa Fixa, Prazo entre 24 a 120 meses. Montante a financiar entre 2.500€ a 75.000€. Crédito sujeito a aprovação de Instituições Bancárias e Financeiras a operar legalmente em Portugal (ver lista). Prazo mínimo de 12 meses e máximo de 120 meses. TAEG a partir de 5,5% até ao máximo de 14.6%.

Crédito Consolidado sem garantia hipotecária com TAEG a partir de 11,70%, TAN a partir de 9,50%, Taxa Fixa, Prazo entre 12 a 120 meses. Montante a financiar entre 5.000€ a 75.000€. Crédito sujeito a aprovação de Instituições Bancárias e Financeiras legalmente a operar em Portugal. Prazo mínimo de reembolso de 24 Meses e Máximo de 120 meses. TAEG a partir de 2,445% até ao máximo de 14,2%.

Testemunho
CLAUDIA SANTANA

O total dos meus créditos rondavam os 24.000€ e estava a pagar 865€ por mês. Após juntar todos os meus créditos, sem fiadores, passei a ter uma só mensalidade de apenas 315€/Mês.

Redução de 64% nas prestações. TAN 9,500% e TAEG 11,712%.

Testemunho
SOFIA E NUNO CAMPOS

Devíamos 19.000€ e tínhamos de pagar 677€/Mês. Depois da consolidação de créditos, sem incluir o crédito da casa, ficámos com uma mensalidade de 249€. Poupamos mais de 400€/Mês.

Redução de 63% nas prestações. TAN 9,500% e TAEG 12,024%.

Testemunho
MANUEL HENRIQUES

Queria fazer outro crédito de 5.000€ mas com a casa devia 130.000€ e pagava 2.097€/Mês. Segui a sugestão e fiz um crédito consolidado. Reduzi as prestações para 745€/Mês e já com os 5.000€ na conta.

Redução de 64% nas prestações. TAN 2,455% e TAER: 3,231%.

Testemunho
JOÃO SILVA

Fiz um pedido de 4.500€. Foram apresentadas várias propostas. Optei pagar o meu crédito em 72 vezes por 78,72€/Mês. Com esta prestação baixa vou juntar dinheiro para pagar antes, sem custos adicionais.

TAEG: 5,5% TAN: 4,70% MTIC: 5.268,78€.

Como conseguir o crédito habitação mais barato

Crédito habitação mais barato – Saiba o que deve ter em conta

Nos dias que correm, praticamente todos os bancos têm ao seu dispor pelo menos uma oferta para contratação de um crédito habitação.

No entanto, para escolher o mais barato, é importante que tenha em conta diversas questões.

Se não como conseguir o crédito habitação mais barato, descubra tudo de seguida.

1 – Analisar a situação familiar

São poucas as pessoas que não sonham ter a sua própria casa (principalmente numa altura em que o arrendamento é praticado com preços quase absurdos).

Contudo, é importante que tenha em conta que esta é “uma decisão para a vida” já que os prazos de pagamento são extremamente alargados.

Desta forma, é importante que antes de encontrar o crédito habitação mais barato, analise a sua situação financeira, a estabilidade no local de trabalho, assim como as evoluções previstas na sua família.

Uma família que tem um orçamento mensal instável, e que não tem muitas coisas para pagar, mas mesmo assim chega ao final do mês sem dinheiro, é capaz de ser uma opção, não comprar casa, pelo menos por agora.

Para comprar casa, é importante que tenha a sua vida organizada, e que, preferencialmente tenha algum dinheiro para dar de entrada, pois dificilmente encontra um crédito habitação a 100% em que a casa não precise de algumas obras de melhoria.

2 – Os simuladores são os seus melhores amigos

Contrariamente ao que muitas pessoas julgam, a diferença de 1% no valor dos spreads, pode originar montantes de reembolso muito mais elevados.

Mas então, como saber qual a melhor opção? Pois bem, a melhor forma de perceber qual é a melhor alternativa para si, é recorrer aos simuladores dos bancos ou de entidades independentes.

Existem taxas e propostas de venda cruzada (contratação de outros produtos, como seguros) muito diferenciadas no mercado e que lhe podem (eventualmente) permitir obter um spread mais baixo (no entanto, nem sempre um spread mais baixo significa que o montante total a pagar é menor).

Ao realizar as suas simulações, veja com diversas taxas (fixas, variáveis e mistas), com diferentes prazos, com acesso ou não a produtos suplementares…

Certifique-se de que o valor da prestação a pagar ao banco, seja só para casa, seja em conjunto com outros créditos já contratados, não representa mais do que 40% do orçamento líquido mensal do agregado familiar (ou seja, que a sua taxa de esforço não vai ultrapassar os 40%, pois pode ser complicado de suportar).

3 – Analise produtos adicionais

A verdade é que muitos bancos permitem uma baixa de spread com a contratação de produtos adicionais como domiciliação de ordenado, contratação de um cartão de crédito, pagamento das despesas mensais correntes através de débito direto… enfim…

Assim sendo, se quer contratar o crédito habitação mais barato, é essencial que verifique se algum dos produtos não irá agravar o valor do crédito.

Compare sempre as taxas anuais efetivas revistas (TAER), uma vez que estas já refletem o spread, a indexação à Euribor, os custos do processo e os custos inerentes à subscrição de outros produtos da instituição. 

Perante as ofertas de subscrição de produtos e serviços do banco, ou da seguradora que lhe está associada, rejeite os que representam um acréscimo injustificado de despesas no seu orçamento familiar (a ideia é baixar o valor que paga mensalmente e não aumentar o mesmo).

Só com uma análise aprofundada é que vai com toda a certeza conseguir obter o crédito habitação mais barato. Contudo, tenha em mente que esta não vai ser uma tarefa simples.

4 – Conhece a FIN? Pois bem, vai conhecer

Sempre que se desloca a um banco para pedir uma simulação de crédito (independentemente de ser ou não habitação) os mesmos são obrigados por lei a entregar-lhe a FIN (Ficha de Informação Normalizada).

Este é um documento que resume todos os custos do seu crédito: comissões, prestações e eventuais produtos contratados, seguros... e é essencial para saber quanto vai pagar e quais as taxas e os valores comissionais.

A FIN permite-lhe ainda saber quanto subirá a sua prestação, caso a Euribor suba 1 ou 2 por cento. Não descure estas previsões e olhe sempre para o pior cenário (subida de 2%), ponderando até que ponto conseguiria suportá-lo com o seu orçamento atual (se não conseguir suportar essa subida, é importante repensar a compra da casa).

Lembre-se sempre que comprar uma casa é algo que tem uma responsabilidade acrescida na sua vida.

5 – Comprar uma casa tem vários custos

É importante que tenha em conta que ser proprietário de uma casa obriga a suportar outros custos regulares (sem ser água, luz, gás e televisão), que devem ser tidos em conta no orçamento mensal familiar.

É o caso dos seguros de vida para os titulares do empréstimo, do seguro da casa (ambos podem ser contratados dentro ou fora do banco – seguro multirriscos), da quota do condomínio e do imposto municipal sobre imóveis (IMI).

Além disto, no momento da aquisição, terá de pagar o imposto de selo e o IMT, bem como os registos e escritura.

Tudo isto tem custos relativamente altos e que não podem ser descurados sob qualquer circunstância.

Agora que já sabe como conseguir o crédito habitação mais barato e como é que o mesmo funciona e quais as diferentes possibilidades, pondere todas estas questões antes de pensar comprar a sua casa.

Se precisar de ajuda para encontrar o melhor crédito habitação para a aquisição da sua nova casa, não hesite em contactar-nos pois estamos à sua inteira disposição para qualquer esclarecimento adicional. 

Perguntas Frequentes

Todas as respostas às suas dúvidas sobre o crédito Credistar.

Sejá nosso parceiro

Aumente as suas vendas. Torne-se um parceiro Credistar.

Contactos Credistar

Contacte a equipa Credistar para esclarecimento de qualquer questão.

Testemunho
CLAUDIA SANTANA

O total dos meus créditos rondavam os 24.000€ e estava a pagar 865€ por mês. Após juntar todos os meus créditos, sem fiadores, passei a ter uma só mensalidade de apenas 315€/Mês.

Redução de 64% nas prestações. TAN 9,500% e TAEG 11,712%.

Testemunho
SOFIA E NUNO CAMPOS

Devíamos 19.000€ e tínhamos de pagar 677€/Mês. Depois da consolidação de créditos, sem incluir o crédito da casa, ficámos com uma mensalidade de 249€. Poupamos mais de 400€/Mês.

Redução de 63% nas prestações. TAN 9,500% e TAEG 12,024%.

Testemunho
MANUEL HENRIQUES

Queria fazer outro crédito de 5.000€ mas com a casa devia 130.000€ e pagava 2.097€/Mês. Segui a sugestão e fiz um crédito consolidado. Reduzi as prestações para 745€/Mês e já com os 5.000€ na conta.

Redução de 64% nas prestações. TAN 2,455% e TAER: 3,231%.

Testemunho
JOÃO SILVA

Fiz um pedido de 4.500€. Foram apresentadas várias propostas. Optei pagar o meu crédito em 72 vezes por 78,72€/Mês. Com esta prestação baixa vou juntar dinheiro para pagar antes, sem custos adicionais.

TAEG: 5,5% TAN: 4,70% MTIC: 5.268,78€.

Este site usa cookies, poderá consultar toda a informação na nossa página de Política de Privacidade. Reconheço e aceito que ao continuar a utilizar este site, dou o meu consentimento à utilização dos cookies deste site. Para mais informações sobre os cookies que utilizamos, como os gerimos e/ou apagamos, por favor consulte a nossa Política de Privacidade.